31 outubro 2012

Icterícia Neonatal

Olá corujinhas!! 

Hoje vou falar de um assunto muito importante a Icterícia Neonatal, escolhi esse tema devido ao sufoco que passei quando minha filha tinha apenas 7 dias. Foi um sofrimento sem tamanho para uma recém mamãe de primeira viagem. Espero que esse post ajude muito vocês, principalmente as futuras mamães e as mamães de recém-nascido que estão passando por isso. Se quiser conhecer meu relato sobre oque passamos e sofremos é só clicar Aqui

Minha Emilly fazendo fototerapia!!
( Desculpem a marca-d'água é porque retirei a imagem do meu blog).


Cinquenta por cento dos bebês contraem icterícia ao nascer. Esta não é, geralmente, uma situação preocupante e deve ser encarada como bastante comum.
A icterícia é uma situação habitual nos recém-nascidos e não deve constituir grande preocupação.


A origem da palavra significa tom amarelado da zona branca do olho e da pele. Aparece habitualmente no segundo ou terceiro dia de vida, em cerca de 50% dos bebês saudáveis, sendo mais evidente entre o quarto e o sétimo dias de vida, desaparecendo progressivamente ao longo de uma semana.


Existem alguns factores que levam a que a icterícia se desenvolva em alguns bebês. Aqueles que foram vítimas de lesões decorrentes do trabalho de parto, que tenham irmãos com história de icterícia ou que nasceram com a ajuda de ventosa têm maior risco para desenvolver este transtorno.


A icterícia neo-natal resulta da elevação dos níveis séricos de bilirrubina (um produto de eliminação natural do sangue do bebê). Os recém-nascidos apresentam níveis de bilirrubina muito mais elevados do que os adultos.


Por um lado dá-se a destruição fisiológica de glóbulos vermelhos nos primeiros dias de vida (com a consequente libertação de bilirrubina), devido ao facto do bebê passar de um ambiente pouco oxigenado para um ambiente cheio de oxigênio  por outro lado os bebés acabados de nascer apresentam uma grande imaturidade do fígado o que impede a metabolização correta da bilirrubina. Assim o pigmento em excesso no sangue, deposita-se na pele conferindo-lhe um tom amarelo. Esta icterícia denomina-se fisiológica.


Há contudo icterícias patológicas que, embora mais raras, podem ser causadoras de doença para o bebé. Uma das mais frequentes é a incompatibilidade do grupo sanguíneo. Isto significa que o bebê e a mãe têm diferentes grupos de sangue e a mãe pode produzir anticorpos que destroem os glóbulos vermelhos do bebê.


Quando a icterícia surge nas primeiras 24 horas de vida considera-se patológica e pode ser acompanhada de alguns sintomas: alteração do estado geral, alteração da cor da urina e das fezes, aumento do volume do fígado, anemia, entre outros.
Como se detecta?


Um teste simples para se detectar a icterícia é apertar suavemente com a ponta do dedo a ponta do nariz ou a testa da criança. Se a pele permanecer branca, não há icterícia. Se for amarelada, deve verificar com o pediatra do bebé se a icterícia é significativa e requer tratamento. Este é um teste que funciona para todas as raças.


A alteração da cor progride da cabeça para os pés. Um bebê com icterícia ligeira pode estar amarelo apenas na face. Ao contrário, se tiver icterícia grave, estará amarelo no corpo inteiro. Se se tratar de um problema ligeiro, pode até desaparecer sem tratamento.
No entanto, em situações mais graves ou se a icterícia estiver presente nas primeiras 24 horas de vida, o tratamento é bastante necessário. É importante distinguir as falsas icterícias causadas pela luz ambiente, por exemplo.


A relação da amamentação e da icterícia:
Em alguns bebês que são alimentados ao peito, a icterícia pode surgir como resultado da quantidade insuficiente de leite. Uma vez que o bebê não está a mamar muito, os intestinos não funcionam convenientemente e a bilirrubina não é removida do organismo pelas fezes.
Recomenda-se que amamente, pelo menos, oito a dez vezes por dia, ou seja, com muita frequência, para permitir o melhor funcionamento dos intestinos do seu bebé. Também nos bebés com alimentação materna a icterícia pode prolongar-se por mais dias.


Formas de tratamento:
Se estivermos perante uma icterícia ligeira, o bebê acaba por resolver o problema sozinho. Quando os níveis de bilirrubina se elevam muito, a icterícia pode ser perigosa para o adequado desenvolvimento do sistema nervoso do bebé. Esta é, no entanto, uma situação muito rara.
Caso haja uma preocupação médica com a gravidade da icterícia, é feita uma determinação do valor de bilirrubina, através de um aparelho que mede o valor na pele (sistema Bilichek) ou através de uma amostra de sangue do bebé. Este pode ser retirado da veia ou por picada no calcanhar.
Quando a icterícia necessita de tratamento, utiliza-se a técnica da fototerapia que é simplesmente o tratamento com luz. Esta aumenta a remoção da bilirrubina do corpo. A pele do bebé é exposta a uma luz especial, fluorescente e de alta intensidade. O tratamento decorre até que os valores voltem a ser normais. A fototerapia é absolutamente segura, durante a qual, o bebé é exposto a quantidades controladas de luz ultravioleta.


O bebê é colocado numa incubadora, só com a fralda vestida e com os olhos cobertos por uma máscara protetora Na maioria dos casos, a icterícia desaparece em poucos dias. Em alguns casos (raros), o seu médico pode pedir-lhe para interromper a amamentação temporariamente.
Durante esse tempo, pode optar por extrair leite com uma bomba, de forma a garantir a continuidade da amamentação. Poderá retomar a amamentação assim que a icterícia tenha diminuído. Quando detectado a tempo, o problema pode ser facilmente resolvido, sem deixar sequelas no bebé.

Quando procurar o médico?- Se após a alta da maternidade a cor ficar mais forte;
- Se a icterícia não tiver desaparecido 15 dias depois;
- Se o seu bebê não tiver ganho peso suficiente;
- Se estiver preocupada com a intensidade da icterícia, principalmente se atingir os braços e as pernas;
- Se tiver qualquer tipo de dúvida relacionada com a saúde do seu bebé;
- Se o bebê tiver febre.
A não esquecer…
- A icterícia nos recém-nascidos é muito comum. Na maioria dos casos, é uma situação fisiológica que ocorre durante um curto espaço de tempo.
- A icterícia é perigosa quando os níveis de bilirrubina no sangue atingem valores muito altos. A melhor forma de saber se o seu valor é realmente preocupante é através da determinação desse valor.

Fonte: Ficar Gravida.

Espero ter ajudado!
Beijos nossos!

Por: Aline Motta

26 comentários:

  1. Ótimo post!!! Meu sobrinho passou por isso... Cris

    ResponderExcluir
  2. Nossa, que coisa chata isso...
    Não conhecia esse assunto.
    Bjus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também não antes de passar por isso!!
      Bjos!!

      Excluir
  3. Eu passei 5 horas a mais no hospital por conta de uma posspivel Icterícia, fiquei tão furiosa que não consiguia enchergar que a biah tava amarelinha e ralamente não estava!
    A minha companheira de quarto o bebê dela ficou tomando essa luz por varios dias!
    Adorei o post Bjos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Emilly estava super amarela!!
      Foi horrível!!
      Obrigada!!
      Bjos!!

      Excluir
  4. Aqui nós tivemos tbm, pois ficamos uma semana internados, o que dificultou o banho de sol nos primeiros dias e o pouco leite. No nosso caso, o Enry ficou um dia na incubadora, só saindo alguns minutinho pra amamentar e mais um dia usando o billyspot, no quarto mesmo, com os olhinhos vendados!

    Realmente é bem comum e o tratamento não é complicado!

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Emilly nasceu em uma época que não tinha sol!!
      Isso complicou tb!!
      Beijos!!

      Excluir
  5. Ei Aline!

    Meu bebê não teve Icterícia, mas isso é muito comum né? Legal falar sobre isso. Informação evita surpresas.

    Bj!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Andreia!!
      Evita sim, importante se informar!!
      Bjos!!

      Excluir
  6. Amei esse cantinho ! já estou seguindo.

    bjs
    http://mamaedeunhafeita.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Adorei o post!!!!

    Liam nao teve, mas é super comum!

    ResponderExcluir
  8. O Miguel também teve, mas foi pouco, sabe?
    Tem as dicas de expor a criança ao sol por 20 minutinhos (no horário recomendado, claro). O pediatra do Miguel disse bem assim pra mim:
    "Deixa ele peladinho em um lugar sem corrente de ar, com sol e vai virando ele que nem um espetinho quando tá assando. Pra ele tomar sol no corpo inteirinho."
    kkkkkk

    E também toma uma vitamina que ajuda.
    Graças a Deus passou rapidinho.

    Beijos!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amiga aqui faltou sol!!
      Só chovia e ventava, ai complicou mais!!

      Bjos!!

      Excluir
  9. Olá Mamães online!!!
    Infelizmente meu filho quando nasceu trazia essa tal de intricia, para meu sofrimento ele ficou nessa máquina de luz azul, nossa mais de 16 horas... fiquei desolada, mas depois fomos pra casa e quando ele voltou lá não precisou fazer mais pois já tinha sumido... bom demais, mas para minha opinião a culpa não é das mães nem nos bebes e sim dos organismos nem todos são iguais.... beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A minha ficou 48hr!! Mas tudo deu certo!
      Bjo!!

      Excluir
  10. Aline, o Matheus tb teve, foi diagnosticado no 3º dia, quando estávamos indo pra casa. Ficou mais um dia em observação e depois foi pra "luz". Eu tive alta e precisei vir pra casa, o que não adiantou de nada, só chorava. Lembro que pesquisei muito pq tive medo de ser algo grave. Mas sendo tratado não é. Depois de mais 3 dias ele fou liberado, no Dia das Crianças. Foi meu presentão, meu pacotinho!!!! Bjs.
    http://matheusmeucoracao.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa eu me internei junto com ela rsrs....
      Eu e o pai dela.
      Não Imagino presente melhor...
      Bjos!!

      Excluir
  11. Excelente post amiga!!! A Ju teve antes dos 7 dias, mas infelizmente só fiquei sabendo depois que passou, não pude acompanhar o trabalho dos médicos, pois estava internada em outro hospital.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa amiga imagino a barra que foi!!
      Bjo!!

      Excluir
  12. Muito interessante amiga, muito comum hoje em dia né!? Bjinhus

    ResponderExcluir
  13. Olá,
    Quanto tempo levou para o amarelado desaparecer?
    Meu bebê tem duas semanas e teve icterícia, ficou 48h no banho de luz e já estamos em casa... mas fico muito preocupada.

    ResponderExcluir
  14. Olá,
    Quanto tempo levou para o amarelado desaparecer?
    Meu bebê tem duas semanas e teve icterícia, ficou 48h no banho de luz e já estamos em casa... mas fico muito preocupada.

    ResponderExcluir
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...