09 novembro 2012

Depressão Pós-Parto Paterna

Hoje quero abordar um assunto muito pouco discutido: Depressão Pós Parto Paterna!
Lembro que em uma aula da faculdade, a professora nos deixou livre para levarmos qualquer artigo de nosso interesse para discutirmos e de imediato pensei nessa tema.

Google Imagens

Poucas pessoas sabem que os pais também podem ter a famosa depressão pós parto. E se for ver, não é de se estranhar já que desde o começo toda a atenção está voltada para a mãe e para o bebê! É verdade que logo após o nascimento, a mãe pode perder um pouco da atenção já que todos querem ficar paparicando o bebê, mas sempre tem alguém preocupado com ela, interessado em saber como está sua recuperação, como está se saindo na amamentação, o quanto está dormindo, etc. Enquanto o pai... bom, o pai é colocado em segundo plano.
A depressão paterna é tão séria quanto a materna, pois de acordo com o psiquiatra Dr. Joel Rennó Júnior "não só porque afeta quem contribui para sustentar a casa, mas porque os riscos de o filho vir apresentar problemas comportamentais aumentam".
Ninguém sabe dizer o que desencadeia a depressão pós parto paterna já que há muitos fatores que podem causar a depressão. Isso piora quando a mãe também está sofrendo uma depressão pós parto, pois a criança procura no pai uma compensação.

Nos homens a depressão é mais difícil de se tratar pela resistência em procurar ajuda.

Devemos ficar atentos pois o bebê precisa de pais/mães física e mentalmente saudáveis para cuidar dele para que possa se desenvolver da melhor maneira possível. Fique atenta se o seu parceiro (ou algum conhecido) apresenta estes sintomas:

• Falta de apetite
• Distúrbios do sono (mesmo que o bebê durma bem)
• Sentir-se um péssimo pai
• Ansiedade e nervosismo
• Perda da libido
• Fim do interesse (ou prazer) pelas atividades cotidianas por um período de no mínimo 2 semanas


As causas mais comuns da depressão pós-parto paterna
• Mulher com depressão pós-parto
• Estresse
• Preocupação com o sustento da família
• Sentir-se excluído ou rejeitado pela parceira
• Dificuldade para lidar com sentimentos ambivalentes, como o de querer proteger e cuidar do bebê  e da mulher e ao mesmo tempo, desejar ocupar o espaço que sempre teve na vida dela.

PEÇA AJUDA!
Não tenha vergonha em procurar ajuda (seja homem ou mulher). Quanto mais cedo procurar ajuda, melhor será para o tratamento. Todo mundo está sujeito a ter uma depressão e isso não é vergonha nenhuma. Como procurar essa ajuda? Você pode conversar com o obstetra da esposa para que este te encaminhe para um profissional adequado para começar o tratamento (psicológico ou psiquiátrico). O tratamento normalmente é uma combinação entre terapia e antidepressivos, depende de cada caso. 

Lembre-se: vale mais a pena prevenir do que remediar. Se algum pai que você conhece está apresentando um ou mais sintomas, converse com ele sobre procurar alguma ajuda para averiguar se é apenas um estresse normal de um dia muito puxado ou se é algo que deve ser avaliado com mais cuidado.

Nossos filhos precisam tanto do amor do pai quanto da mãe.
Pais felizes, bebê feliz!!!

Fonte: Saúde Abril
Google Imagens

Ótima sexta a todos!


14 comentários:

  1. Nossa eu nunca tinha parado para pensar nisso, que bacana saber adorei o post amiga bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Cris!! É um tema pouco abordado e poucas pessoas conhecem mesmo.. é bom divulgarmos!! Beijos!!!

      Excluir
  2. Nossa eu tbm nunca havia pensado por este lado. Parabéns viu Brenda!!! Cris

    ResponderExcluir
  3. Também nunca tinha pensado que os pais poderiam ter depressão, ciumes sim!! Mas depressão... ótimo post Brenda parabéns!!

    bjss

    http://historiadeumamae.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Michele!! Pois é, se nós que vivemos super no mundo materno não tínhamos ideia desse assunto, imagine eles?! uhehehe Beijos!

      Excluir
  4. Sabem qie qd adoptei achei q estava com uma depressão pós-adopção pois tinha medo de n conseguir cuidar do meu filho mas felizmente só durou uma semana... mas tenho uma amiga minha q teve um caso bem grave e foi complicado...

    Um beijinho e continuem com o bom trabalho :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Maria.. que bom que passou rápido!! Dizem que é normal sentir a melancolia pós parto que normalmente dura algumas semanas e já passa mesmo.. Quando vai pra depressão já tem que procurar um profissional para fazer um tratamento adequado.
      Obrigada pelo seu comentário!
      Beijos!

      Excluir
  5. Que bom que abordou o tema pais, afinal, eles são alicerces na família. Super importantes. beijo

    ResponderExcluir
  6. Olá Brenda!

    Meus parabéns pela abordagem de um assunto sério e pouco conhecido.

    Beijos!

    Equipe MR.

    ResponderExcluir
  7. Não a 100%, mas acho que uns 50% me faltaram para ter Depressão pós parto, é horrível.
    beijos adorei o texto

    ResponderExcluir
  8. Oii Brenda!!! Muito bom o texto que abordou!!! Nunca tinha parado para pensar nisso e realmente é um fator muito importante a saúde do papai, afinal ele tbm tem muita coisa para pensar, a responsabilidade de cuidar da família é sempre dele!!

    Um abraço!!!
    Adriana
    www.minhamaricotamaricotinha.com

    ResponderExcluir
  9. Oi Brenda, realmente esse assunto é pouco explorado, e os homens tem mais dificuldade me procurar ajuda mesmo!
    Boa dica!

    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Nossa adorei. Não conhecia. Com certeza é super importante o Pai estar bem para ter uma família em harmonia. Bjs

    ResponderExcluir
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...